Muita gente pode nunca ter ouvido falar sobre isolamento de contato, mas o fato é que ele pode muitas vezes salvar vidas, melhorar a saúde do paciente, acelerar o processo do tratamento de determinadas doenças, impedir complicações, reduzir riscos de contágio, evitar epidemias e tantos outros problemas e agravos para a saúde.

O isolamento de contato, que também pode ser chamado comumente de isolamento de precaução, nada mais é do uma série de medidas de isolamento e precaução de saúde tomadas quando é preciso afastar de forma parcial uma pessoa do convívio social e do contato com outras pessoas por conta do risco de contaminação.

Aliás, esse risco existe por conta de alguma doença, vírus, infecção ou bactéria.

As precauções de contato também são indicadas para pacientes com infecções e outras doenças causadas por microrganismos transmitidos por contato direto como pele com pele, saliva e dentre outros com outra pessoa ou indireto através do manuseio de objetos, uso do mesmo banheiro, maçanetas, lençóis e afins.

O isolamento de contato na verdade serve não apenas para proteger as outras pessoas, como também o próprio paciente que fica suscetível e vulnerável a ser contaminado por outras bactérias e doenças.

Para entender melhor o que é o isolamento de contato e como proceder fique atento ao texto e verifique informações sobre as diferenças no procedimento de acordo com cada patologia e os cuidados necessários com as medidas de isolamento. Confira.

Exemplos de doenças que devem seguir o procedimento de isolamento de contato

  • Hepatite A
  • Herpes simples
  • Difteria cutânea
  • Difteria Faríngea
  • Influenza Adenovirus
  • Parvovirus B19
  • Coqueluche
  • Staphylococcicias
  • Estreptococcias
  • Pediculose
  • Conjuntivite viral
  • Infecções por germes multirresistentes
  • Febre hemorrágica
  • Rubéola
  • Varicela
  • Shigella
  • Impetigo
  • Abcesso
  • Zoster
  • Escabiose
  • Caxumba
  • Infecções respiratórias
  • Infecções gastrointestinais

Como proceder em casos de isolamento de contato

Existem algumas recomendações imprescindíveis em casos de isolamento de contato cuja equipe médica e de enfermagem devem seguir as regras tanto do hospital como as normas ou medidas que são impostas pela biossegurança. No caso, elas são:

  • Quarto privativo individual ou em caso de divisão os dois pacientes devem ter a mesma doença mantendo distância de no mínimo três pés entre os leitos;
  • Usar luvas sempre que entrar em contato com o paciente fazendo a troca e descarte, além da higienização das mãos após exposição e contato em grande concentração de microrganismos transmissíveis como as fezes e secreções;
  • Usar aventais limpos que devem ser retirados antes da saída do quarto do paciente a fim de evitar que o contato das roupas com o ambiente externo potencialmente contaminado;
  • Evitar a saída e o transporte do paciente do quarto a fim de minimizar os riscos de contaminação;
  • Em caso de saída ou transporte do paciente evitar que ele tenha contato com objetos de acesso comum como corrimão, mesas, cadeiras e outros;
  • Limpeza diária de todos itens de uso do paciente;
  • É recomendável que a utilização de equipamentos como estetoscópio sejam usados apenas para um paciente para evitar o risco de contaminação. Caso não seja possível, é necessário fazer a devida higienização e esterilização do equipado antes de utilizá-lo em outro paciente;

Como proceder em casos de bactérias multirresistentes

Em caso de bactérias multirresistentes as regras relacionadas ao isolamento de contato afirmam a necessidade de fazer a higienização com álcool em gel e solução antisséptica antes e depois de qualquer contato com o paciente e também fazer o uso de luvas e aventais descartáveis para realização de qualquer procedimento em que possa haver contato com fluidos corporais do paciente.

Isolamento de contato para pacientes com tratamento de câncer

No caso dos pacientes que estão em tratamento de câncer e precisam fazer quimioterapia o isolamento de contato é necessário, pois o processo de quimioterapia causa uma queda na imunidade deixando o corpo mais suscetível às contaminações e outras doenças que podem agravar o quadro do paciente ou até levá-lo a óbito.

Para diminuir esse risco e para que este paciente não transmita alguma doença que possa ter adquirido em decorrência dessa baixa imunidade para outros pacientes (também com baixa imunidade) isolamento de contato é a melhor opção.

Isolamento de contato de crianças e adolescentes com câncer

  • Quarto privativo
  • O paciente não pode ter contato com outras crianças e jovens por conta do risco de contaminação.
  • Banheiro deve ser higienizado devidamente após cada uso
  • Aviso na porta do quarto de que o paciente está em período de isolamento
  • Realizar todas as refeições dentro do quarto
  • Como proceder em casos de isolamento de contato domiciliar

Caso o paciente possua alguma doença sem gravidade, que possa ser tratada em casa, como é o caso da conjuntivite, por exemplo, os procedimentos envolvem menor restrição, mas ainda requer alguns cuidados como:

  • Evitar usar os menos objetos da pessoa contaminada
  • Fazer a higienização periódica dos objetos de uso do paciente
  • Restringir ao máximo o contato com outras pessoas
  • Usar luvas descartáveis sempre que possa haver contato direto com o paciente

Tempo e nível de restrições do Isolamento de Contato

O tempo e o grau de restrições dos casos de isolamento de contato são definidos de acordo com o tipo de bactéria, vírus, infecção ou doença que o paciente possui.

Existem casos em que é necessário fazer um isolamento total do indivíduo não sendo permitida entrada de familiares no mesmo ambiente. O paciente fica em uma área isolada com monitoramento e entrada de poucos profissionais da equipe hospitalar.

Isso geralmente acontece em casos de doenças raras, bactérias de grande ação, vírus letais com taxas altas de transmissão e em casos de prevenção de epidemias.

Como você viu, o isolamento de contato não só previne e diminui os riscos de contaminação de vírus, bactérias, infecções e outras doenças contagiosas, mas também auxilia na saúde de pacientes que precisam deste tipo de ação por estarem com imunidade baixa e mais vulneráveis a contrair essas patologias.

Seguindo todas as recomendações de procedimentos nos casos em que é necessário realizar o isolamento de contato, tanto o paciente, quanto sua família e os profissionais da saúde irão garantir um ambiente mais saudável a todos.