JALECO BÁSICO BRANCO MASCULINO

O que é Síndrome do Jaleco Branco?

Você é daquelas pessoas que temem ir ao médico e ao pisar no hospital ou consultório começa a suar frio e se sentir mal? Se a sua resposta foi sim é possível que você sofra de uma fobia situacional chamada pelos psicólogos de síndrome do jaleco branco.

Essa síndrome é mais comum do que as pessoas imaginam e ela pode acometer tanto os adultos como as crianças, mas por se tratar de uma fobia pouco abordada entre os profissionais de psicologia e psiquiatra são poucas pessoas que diagnosticadas com ela.

Saiba detalhes sobre a síndrome do jaleco branco e como ela pode ser diagnosticada.

Existem muitos casos de pessoas que ao entrar em um hospital ou consultório médico, odontológico e outras áreas da saúde que demonstram um nervosismo além do normal.

Geralmente são pessoas que sofrem um aumento em sua pressão arterial sem motivo aparente, mas que as vezes são confundidos pelos médicos com hipertensão e dentre outras doenças – o que pode causar recomendações de tratamentos equivocados.

Chamada de síndrome do jaleco branco essa fobia pode ser percebida em pacientes aleatórios e pelas mais variadas razões que precisam ser investigadas por especialistas em psicologia ou psicanálise, pois é dessa forma que o diagnostico pode ser fechado.

Esse síndrome foi vista pela primeira vez no início da década de 1980 e desde então tem sido estudada pelos médicos de áreas diversas a fim de entender os principais sintomas, as causas e principalmente o melhor tratamento para cada paciente, tendo em vista que a princípio não existe uma cura, mas recomendações que ajudam a reduzir os sintomas.

Ou seja, se você tem medo de ir ao médico, fica apavorado com os instrumentos usados por profissionais da saúde e tem a sua pressão arterial alterada só de pisar em um hospital existe uma grande chance de você ter síndrome do jaleco branco.

Como a síndrome do jaleco branco é diagnosticada nos pacientes?

Ao frequentar em um local com a presença de profissionais da área da saúde é possível que a pessoa portadora da síndrome do jaleco branco demonstre alguns incômodos que por vezes é confundido por esses profissionais, mas que precisam de uma atenção maior para que sejam relacionados a síndrome e consequentemente diagnosticar a pessoa.

Em tese em um primeiro momento a maioria das pessoas que percebem a possibilidade de ter a síndrome procuram o auxílio psicológico sem recomendação, pois dificilmente um médico, dentista e outros profissionais conseguem identificar a síndrome de imediato.

Geralmente, através dos seus sintomas esses profissionais chegam a cogitar outros tipos de problemas por isso a necessidade do paciente ser sincero sobre a sua condição e relatar que alguns sintomas são percebidos apenas naquele ambiente.

É a partir disso que os profissionais começam a perceber a possibilidade da pessoa sofrer de síndrome do jaleco branco e analisam os sintomas, que na maioria das vezes são:

  • aumento da pressão arterial;
  • Tremores;
  • Suor frio;
  • Aumento da frequência cardíaca;
  • Ânsia de vômito;
  • Tensão muscular;

Com base nesses sintomas é iniciada uma investigação para analisar alguns fatores com atenção, como por exemplo, a média da pressão arterial durante uma consulta. A pessoa com síndrome deve apresentar pressão superior a 140/ 90 mmHg e pelo menos nas três últimas vezes (consecutivas) que foi ao consultório ou outro ambiente de saúde.

Outro detalhe importante para que o diagnostico seja realizado é a pessoa apresentar a pressão arterial normal no restante do dia enquanto permanece em casa ou trabalho. Se isso acontecer é possível constatar que a pessoa possui síndrome do jaleco branco.

Quais os fatores que levam a pessoa ter síndrome do jaleco branco?

Para os psicólogos cada caso é uma sentença e isso significa que os motivos que fizeram uma pessoa ter a síndrome do jaleco branco pode ser diferente do de outra pessoa.

As pessoas são seres humanos únicos e por isso a base emocional de cada uma também se diferencia das demais. Logo, para uma pessoa a síndrome pode ter surgido por algum trauma na infância, enquanto para outra pode ser o simples medo de ficar internado ou de ser diagnosticado com doenças já vistas na família e assim por diante.

Portanto, as causas se relacionam a fatores psicológicos e emocionais de cada um e é por isso que existe a necessidade de contar especialistas como psicólogos e psiquiatras para que as causas sejam identificadas a fim de promover um melhor tratamento.

Existem tratamentos para acabar com a síndrome do jaleco branco?

Não existem tratamentos oficiais para o problema, mas o recomendado é procurar por um psicólogo ou psicanalista para que juntos identifiquem a causa da síndrome e principalmente comecem a trabalhar com o paciente para reduzir alguns dos sintomas.

De fato, ainda não existe uma cura para a síndrome, apenas adaptações para que o desconforto e mal-estar sentido por essas pessoas sejam aliviados. Portanto, cabe aos profissionais da saúde trabalhar técnicas de atendimento e exames mais “tranquilos” em que consigam transmitir confiança, segurança e eficiência para essas pessoas.

As pessoas portadoras de síndrome do jaleco branco precisam ter um atendimento diferenciado e cuidadoso. Nesse caso, é preciso pensar em alternativas que levam elas a se sentirem mais calmas e tranquilas com a situação, mas para isso é preciso falar com os profissionais da saúde sobre o problema para que ajudem a minimizar seus sintomas.

Além disso, algumas pessoas podem demonstrar sinais graves de ansiedade por conta do problema e que precisam ser tranquilizados por vezes com medicamentos que podem ser de origem alopática como é o caso dos ansiolíticos e antidepressivos. 

Considerações finais

Por mais que a síndrome do jaleco branco pareça inofensiva existem casos extremos em que a pessoa jamais frequenta hospital, clínicas de saúde e afins, o que pode causar problemas tendo em vista que a sua saúde não é observada pelos médicos apropriados.

Nesse caso, é indispensável procurar ajuda profissional para que aos poucos os sintomas sejam reduzidos e os traumas (sejam quais forem) sejam aliviados em prol da sua saúde.

Procure um psicólogo ou psicanalista de sua confiança e inicie o seu tratamento.

Visite nossa loja, aqui

Rolar para cima