Atender em convênios vale a pena? — FAÍKO Jalecos

Atender em convênios vale a pena?

 

Os convênios médicos oferecem consultas com todos os tipos de especialistas da área da Saúde: dentistas, psiquiatras, endocrinologistas, podólogos, psicólogos, cardiologistas, nutricionistas e muito mais. Para o consumidor, isso é excelente, mas e para os médicos? Será que atender em convênios vale a pena?

Essa é uma dúvida que ataca principalmente quem se formou há pouco tempo e ainda não entende muito bem como é o mercado médico na prática. Como acontece em todo setor profissional, é claro que há pontos negativos e positivos a ser pesados antes de começar a lidar com os pacientes.

Para recém-formados, é uma ótima opção

Os profissionais da Medicina também têm dificuldades em se colocar no mercado de trabalho quando recém-formados, especialmente porque eles têm uma grande responsabilidade sobre a vida dos pacientes. Por isso, é claro que abrir um consultório de cara não costuma ser viável. Muitas vezes, os médicos acabam sendo contratados pelo convênio em que fizeram residência.

Boa infraestrutura para os atendimentos

É claro que todo médico deseja ter boa infraestrutura para atender aos pacientes: poder receitar determinado remédio, solicitar um exame, encaminhar para um especialista complementar, etc. Tudo isso costuma ser mais possível nos planos de saúde.

Afinal, basta comparar um hospital público a um hospital particular; salvo algumas exceções, os primeiros têm recursos mais escassos e as condições de trabalho são limitadas. Por isso, os planos de saúde concedem mais conforto aos médicos. Por outro lado, não vale tanto a pena para quem tem o desejo de ajudar os pacientes mais carentes.

Margem de lucro diminuída

É claro que a ótima estrutura que os convênios oferecem aos médicos não é de graça: é por isso que o salário desses médicos (apesar de ser bom) é menor do que eles poderiam conseguir se tivessem um consultório próprio.

Afinal, o convênio tem gastos para manter os equipamentos para exames, o estoque de medicação, a limpeza do espaço, a alimentação dos internados e tudo mais. Sendo assim, ele paga um pouco menos aos médicos para que possa arcar com tudo.

Já os médicos que têm um consultório particular têm de arcar com o aluguel deste (muitas vezes) e com as despesas de manutenção. Porém, como ele controla o valor das consultas e o quanto gasta, ainda consegue ter um pouco mais de ganhos.

 

Por outro lado… estabilidade financeira


Quem prefere ter uma renda fixa sai ganhando se atende em planos de saúde. Afinal, independente de quantos pacientes esse profissional atende, o seu salário será o mesmo e isso não acontece com as pessoas que atendem em seus próprios consultórios. Além disso, os médicos registrados em carteira têm os direitos trabalhistas assegurados, como em qualquer outra carreira.

 

Abrir consultório ou trabalhar em convênio médico?

Para quem já é formado há certo tempo e pode arcar com a montagem de um consultório, esta é uma boa opção. Quem não tem uma gama própria de pacientes e necessita de uma renda fixa, porém, deve se dedicar ao convênio médico.

Rolar para cima
WhatsApp
Fale com a gente no WhatsApp!